Imprimir 

Reunião ocorreu na sede da Procuradoria-Geral de Justiça, em Natal



O Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN) recebeu uma comissão de integrantes da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (Uern) nesta quinta (15) e, não tendo havido possibilidade de acordo com o Executivo, propôs o fim da greve, iniciada em 10 de novembro passado. O objetivo da reunião foi realizar uma mediação entre entidades de classe e Governo, para encerrar a referida greve, que já durava cerca de quatro meses. Dada a frustração da tentativa de acordo, a Associação dos Docentes (Aduern) e o Sindicato dos Técnicos (Sintauern) resolveram encerrar a paralisação nesta sexta-feira (16).

A medida figura como o primeiro passo para que os profissionais que estão com salários atrasados, assim como diversas outras categorias de funcionários do Estado, possam garantir o cumprimento do ano letivo e buscar novas possibilidades de negociação junto ao Governo do Estado para regularização do pagamento. As aulas serão retomadas na próxima quarta-feira (21).

A reunião com a comissão da Uern foi realizada na sede da Procuradoria-Geral de Justiça, em Natal, e contou com a participação do procurador-geral de Justiça Eudo Leite; do reitor da Uern Pedro Fernandes Neto; da presidente da Aduern Rivânia Moura; do presidente do Sintauern Elineudo Melo; além dos professores Carlos Sérgio Gurgel, José Hildemburgo e Lindocastro Nogueira.

O MPRN acompanha de perto e busca constantemente soluções para contribuir com o reequilíbrio financeiro do Estado. “O Ministério Público segue à disposição da sociedade para colaborar com mediações e acordos que garantam resolutividade às questões que impactam no dia a dia dos cidadãos potiguares”, declarou.

Eudo Leite reforçou também a importância da união entre poderes, instituições e sociedade. “É preciso buscar soluções mediadas, consensuadas e negociadas para as crises que surgem. Isso fortalece as instituições e resolve os pleitos das categorias. Acreditamos que se houver uma união das instituições e a compreensão desse momento que estamos vivendo, em que pese toda a situação quase caótica do ponto de vista financeiro e orçamentário, podemos sair todos de braços dados dessa crise tão severa”, finalizou.